Secom

Secom
Clique no banner e entre no site do SECOM. Confira tudo o que o atuante Sindicato faz e oferece
Últimas Notícias
recent

O BRASIL NAS COPAS

1962


Por Daniel Nápoli

A 7ª edição da Copa do Mundo de Futebol foi disputada no Chile. O Mundial voltava a ser jogado no continente sul-americano, após 12 anos.

Então defensor do título, o Brasil, agora comandado  por Aymoré Moreira, irmão de Zezé Moreira, comandando da seleção na Copa-1954, era o grande favorito a Taça.




O Brasil foi a Copa do Mundo-Chile 1962, com os seguintes atletas:

Goleiros – Gilmar (Santos) e Castilho (Fluminense)
Laterais – Djalma Santos (Palmeiras), Nilton Santos (Botafogo-RJ), Jair Marinho (Fluminense) e Altair (Fluminense)
Zagueiros – Bellini (São Paulo), Mauro Ramos (Santos), Zózimo (Bangu) e Jurandir (São Paulo)
Meio-campistas – Zito (Santos), Didi (Botafogo-RJ), Zequinha (Palmeiras) e Mengálvio (Santos)
Atacantes – Garrincha (Botafogo-RJ), Zagallo (Botafogo-RJ), Vavá (Palmeiras), Pelé (Santos), Jair da Costa (Portugesa-SP), Coutinho (Santos), Amarildo (Botafogo-RJ) e Pepe (Santos)

O Brasil estreou naquele Mundial no dia 30 de maio, no Estádio Sausalito, em Viña Del Mar. Novamente o México cruzava seu caminho em Copas do Mundo.

Com gols de Zagallo e Pelé, o Brasil venceu os mexicanos na estréia, sem menores problemas. A adversária seguinte, a Tchecoslováquia, exigira mais dos então campeões.

No mesmo estádio, os brasileiros enfrentaram os thecos, no dia 2 de junho. Em um jogo pegado, com os europeus abusando da violência, o Brasil sofreu uma importante baixa. O grande nome de nossa seleção, Pelé, após receber uma entrada criminosa, se lesionou seriamente, não jogando mais aquele Mundial. A partida terminou 0x0, com o planeta se perguntando se a seleção Canarinho, apesar dos grandes nomes que tinha, iria longe sem sua principal estrela.

Ainda em Viña Del Mar, os brasileiros enfrentaram os espanhóis, levando um novo susto, ao sair atrás do marcador, mas com dois gols de Amarildo, que entrara no lugar de Pelé, o Brasil não só virou a partida, como se garantiu nas quartas de final.

Veio a fase de “mata-mata” e com ela brilhou a estrela de Garrincha. No mesmo estádio, que se tornou a casa brasileira naquela Copa, o Brasil venceu a Inglaterra por 3x1, com dois gols do “Anjo das pernas tortas” e um de Vavá. O Brasil novamente estava na semifinal.

Para se garantir em mais uma decisão de Mundial, o Brasil teria de enfrentar os donos da casa, que estavam embalados e empolgados com as últimas atuações. O local da partida pela primeira vez, seria outro, o Estádio Nacional de Chile, em Santiago.

Em um jogo duro, os brasileiros venceram o duelo sul-americano por 4x2, com dois gols de Garrincha e outros dois de Vavá. Pela segunda Copa consecutiva, o Brasil estava na decisão. O rival, seria a Tchescoláquia, a mesma adversária da primeira fase e que lesionará Pelé.

No dia de 17 de junho, ocorreu  a decisão, em Santiago. O jogo estava carregado de emoções. Além da defesa do título, o Brasil queria a vitória para  “calar” os  tchecos e “vingar” Pelé, da violência que havia acontecido no primeiro encontro das seleções.

Assim como quatro anos antes, os brasileiros saíram atrás no marcador, mas com gols de Amarildo, Zito e Vavá, o Brasil virou a partida e sagrou-se bicampeão mundial, igualando o feito do Uruguai e da Itália, como países com maior número de Copas vencidas. Mesmo sem Pelé, a seleção brasileira se mantinha no topo do futebol.



Moura Nápoli

Moura Nápoli

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Grande Parceiro

Tecnologia do Blogger.